Aprenda a combater os sintomas da TPM


A famosa tensão pré-menstrual, popularmente conhecida como TPM, que acompanha a maioria das mulheres por toda vida, são carregadas de dúvidas.

Alguns dias por mês, as mulheres convivem com sintomas físicos e emocionais que estão ligados diretamente às mudanças hormonais.

São altos e baixos de estrôgenio e progesterona, impactando na disposição, fome, humor e até sexualidade feminina.

Quer Saber mais? A médica Mara Diegoli, do Departamento de Ginecologia do Hospital das Clínicas e também coordenadora do Centro de Apoio à Mulher com Tensão Pré-Menstrual do HC de São Paulo, esclarece tudo e mais um pouco sobre o assunto em entrevista ao site do também médico Drauzio Varella. Confira:

Conhecedo melhor a TPM

Segundo Mara Diegoli, os sintomas da TPM são diversos. A mulher fica mais irritada, depressiva,  sente dores nas mamas e na cabeça, tem picos de agressividade e melancolia.

Os sintomas variam de 15 dias a dois dias antes da menstruação. No entanto, tende a desaparecer durante o período.

Por isso, se persistir, é importante procurar um médico, porque nem sempre é só TPM.

Humor desgovernado

Durante o período pré-menstrual, os níveis de produção de serotonina despencam. Estes hormônios são produzidos pelas células nervosas e influência o humor das pessoas.

Se os índices estão altos, é comum se sentir feliz, positivo e bem-humorado. Mas, quando estão baixos, o mal-humor se instala. Por isso que, a maioria das mulheres, durante a TPM, quando esses hormônios diminuem, buscam recompensas em alimentos gordurosos e açucarados. Chocolate, por exemplo, aumenta essa sensação de prazer.

Outro fator é o aumento da progesterona e a queda do estrogênio, essa dinâmica causa dores de cabeça, retenção de líquido, inchaço e dores.

Dependendo da genética, a sensibilidade diante dessa variação hormonal pode ser maior ou menor. Por isso, nem todas as mulheres, apesar de passar pelo mesmo processo, têm sintomas semelhantes. Algumas possuem oscilação de humor, enquanto outras sofrem com as dores.

De mãe para filha

A médica Mara Diegoli destaca três causas que justificam a TPM. A hereditariedade é a primeira. Se a sua mãe teve TPM, a probabilidade de você desenvolver a síndrome é muito maior.

As condições externas também influenciam a tensão pré-menstrual. Se a mulher está passando por uma fase difícil (dificuldade financeira, problemas no trabalho ou no casamento), certamente as crises de TPM serão maiores.

Isso porque as taxas de hormônios, como serotonina, estão baixas, pois o organismo não está produzindo em quantidade correta. E quando a menstruação chega, esses números despencam ainda mais.

A terceira causa tem a ver com o fator endógeno, isto é, que varia conforme o organismo. Existem mulheres com mais ou menos sensibilidade. Enquanto pessoas ficam pouco produtivas, existem outras que lidam de forma mais pró-ativa, decidem fazer exercícios ou atividades para aliviar a tensão.

A idade também é um fator determinante

Um trabalho desenvolvido no Hospital das Clínicas, com 2 mil mulheres, investigou como a TPM se comporta conforme a idade.


Foi constatado que os sintomas psíquicos são mais comuns em mulheres de 30 a 40 anos. Nessa faixa etária também foi revelado que elas sentem mais irritabilidade e cansaço.

Já as adolescentes, os principais sintomas são dores de cabeça e cólicas.

Combatendo a TPM

Para combater a TPM com eficiência é importante buscar o autoconhecimento. Isso porque os hormônios estarão em queda e alta por toda a vida, mas é preciso aprender a lidar com eles.

Por isso, faça um calendário para entender como acontece a sua variação de humor e energia.

Dessa forma, você saberá quando lidar com um problema que exigirá mais do seu bom senso: como pedir um aumento; terminar um namoro ou ter uma conversa franca com o filho, sem causar brigas e estress. É sempre melhor deixar esses momentos para depois que a TPM passar.

Outra dica é praticar exercícios físicos, pois o corpo em movimento também ajudará a diminuir a depressão e a raiva durante esses períodos. Além de levantar a autoestima.

As atividades aeróbicas são as melhores. Se não for possível, invista em caminhadas, passeios de bicicleta ou apenas atividades prazerosas para você, como cuidar do jardim. Apenas faça algo que descarregue a ansiedade e o nervosismo.

Mas não desconte na comida

Nessa fase, as mulheres costumam comer muito chocolate, responsável por liberar endorfina, hormônio que fornece prazer. Contudo, esse alimento em excesso, não é benéfico para a saúde e também engorda.

Por conta da retenção de líquido e inchaço, também é bom evitar o sal. Outra sugestão é tirar o café por alguns dias, pois poderá aumentar a ansiedade.

Sexualidade feminina

Além do humor, da fome e disposição, o desejo sexual também é influenciado antes e depois do período menstrual. De acordo com um estudo feito pela médica Mara Diegoli, 70% das mulheres estão menos dispostas para a relação sexual 14 dias que antecedem a menstruação.

Mas, depois que menstruam, a libido e a produção de estrogêneo aumentam. Em seguida vem a ovulação, período especial para quem deseja engravidar.

Medicamentos que ajudam no controle da TPM

Analgésicos e anti-inflamatórios podem ser receitados para mulheres que têm dores constantes nesse período. Se os sintomas forem muito fortes e persistirem, é possível recorrer a anticoncepcionais prolongados, que interrompam a menstruação.

Contudo, se os sintomas forem além, focando em problemas de causas psíquicas, dos quais atrapalham a vida da mulher, os tratamentos indicados são antidepressivos que aumentam as taxas de serotoninas. São remédios que não causam sono, ao contrário, tem o objetivo de melhor a concentração e o humor, por exemplo. Essa medicação, porém, deve ser receitada por um médico.