Protetor solar facial: como escolher o melhor para você?


Sabe aqueles números grandes que vem nas embalagens de protetor solar? Então, eles são o FPS (fator de proteção solar), que nada mais é do que o índice que determina o tempo que uma pessoa pode permanecer exposta ao sol sem produzir vermelhidão na pele.

No Brasil, esses valores variam de 15 a 60. para chegar nesses números, cientistas fizeram testes de monitoramento da pele após a aplicação de cada fator. Assim, com um filtro solar de FPS 15 a pele vai demorar 15 vezes mais tempo para ficar vermelha, por exemplo.

De acordo com o FDA (Food and Drug Administration), órgão americano que fiscaliza alimentos e medicamentos, o fator de proteção solar 30 oferece quase 100% de proteção. Isso é, se aplicado corretamente, protegerá a pele do Sol em 96%.

Como o protetor deve ser reaplicado a cada 2 horas, o tempo de bloqueio ao sol oferecido por esse produto já seria mais do que suficiente.

Por que usar protetor solar com FPS maior?

Como nem todo mundo sabe aplicar o protetor solar de forma correta, alguns dermatologistas preferem indicar protetor solar com o fato de proteção maior do que 30. Assim a garantia de proteção é maior.

Para aplicar da maneira correta é preciso passar a quantidade necessária para cobrir completamente a superfície da pele – estamos falando do rosto. Tenha por base uma colher de café cheia de protetor, assim você terá noção do quanto de creme protetor aplicar no rosto.

Além disso, os fatores mais altos protegem a pele por mais tempo. O ideal é reaplicar o produto a cada duas horas. Agora, se não for possível, o FPS mais alto vai ‘segurar’ mais esse tempo, sem que sua pele seja prejudicada.


Como calcular o FPS?

O Fator de Proteção Solar é um índice que estabelece o tempo máximo de exposição ao Sol quando a pele está protegida com algum tipo de protetor solar. Evitando o aparecimento de eritema – vermelhidão causada pela dilatação dos vasos sanguíneos.

Suponhamos que o tempo de exposição ao Sol necessário para causar eritema em uma pessoa seja de 5 minutos.

Com o uso de um protetor solar FPS 20, o tempo que essa pessoa pode ficar exposta aos raios solares será de até 100 minutos sem prejuízos.

Ao se expor à radiação solar, a pele será atingida por raios ultravioleta, tipos de onda eletromagnética de alta frequência. As radiações ultravioleta são divididas em três grupos, de acordo com suas características físicas e capacidade de penetração na pele humana.

UVA: Tipo de radiação ultravioleta com comprimento de onda compreendido entre 315 nm e 400 nm (1 nm = 1 x 10 – 9 m). Essa radiação atravessa totalmente a camada de Ozônio e, ao atingir a pele humana, penetra até nas camadas mais profundas.

UVB: Tipo de radiação ultravioleta com comprimento de onda compreendido entre 280 nm e 315 nm. Essa radiação é parcialmente absorvida pela camada de Ozônio e não atinge as camadas mais profundas da pele, mas pode provocar eritema.00

UVC: Tipo de radiação ultravioleta com comprimento de onda compreendido entre 100 nm e 280 nm. Essa radiação é totalmente absorvida pela camada de Ozônio.

A exposição aos raios UV, sem a devida proteção, pode gerar queimaduras na pele, envelhecimento precoce, problemas na visão e câncer de pele. Em quantidades adequadas, as radiações UV trazem benefícios, como a fixação da vitamina D.